segunda-feira, 23 de abril de 2018

Xuxa Toma a Vaga de Galisteu na Pré de "Senna"


Odair Del Pozzo 
Vírgula - colunadodada.virgula.uol.com.br
Qua, 03 de Novembro de 2010 23:29

Viviane Senna, herdeira e controladora do instituto que leva o nome de seu irmão, não perde a oportunidade de tentar reescrever a biografia de Ayrton Senna, que morreu correndo, na Itália, em 94.

Na pré-estreia do filme "Senna", em São Paulo, Adriane Galisteu não foi convidada. Mesmo tendo sido a última namorada do piloto, Adriane foi "substituída" por Xuxa, que, para Viviane, é a eterna "noiva prometida" do competidor.

Viviane fez a sua opção mais conveniente. Outra vez.

A frase que melhor traduz esse espírito foi dita, certa vez, por Galisteu, com luva de pelica: "Eu nunca vendi um chaveirinho do Senna. Eu não vivo disso". Pois é. 











FONTE PESQUISA


POZZO, Odair del. Xuxa toma a vaga de Galisteu na pré de "Senna". Disponível em: <http://colunadodada.virgula.uol.com.br/site/index.php/so-ta-dando-voce-hein/38-so-ta-dando-voce-hein/334-xuxa-toma-a-vaga-de-galisteu-na-pre-de-qsennaq.html>. Acesso em: 23 de abril 2018.


domingo, 22 de abril de 2018

INDECOROSA!

Foi o que o empresário e fazendeiro Milton da Silva achou da revista Caras de seu filho Ayrton Senna e da nora Adriane Galisteu com trajes de banho na capa

Caras edição 25 cujo Senna saiu sem camisa e Galisteu de biquini quase fez com que o pai de Ayrton desse um ataque do coração quando viu

TRADUÇÃO LIVRE

Senna chegou em Bolonha na quinta-feira 28 de abril para começar a sua preparação para o Grande Prêmio de San Marino, uma corrida que ele gostava e tinha ganhado três vezes anteriormente . Ele estava lá a negócios , consciente de sua vida depois de corridas de Grand Prix, ajudando a lançar uma bicicleta de montanha da marca Senna .
Ele também estava distraído com a atitude de sua família para a sua vida pessoal, especialmente sua namorada Adriane . Seu irmão mais novo Leonardo havia sido despachado pelo Controle da Missão em São Paulo para lhe dizer que 21 anos de idade modelo húngaro- brasileiro não era o tipo de garota para ele e ele deve imediatamente largar dela.

Senna tinha aparecido em revistas de estilo de vida brilhante com Adriane , ambos vestindo apenas trajes minúsculos de natação e um sorriso. Milton da Silva quase teve um ataque quando viu as fotos, e fez o seu desagrado conhecido por seu filho mais velho . Mas Senna era um homem que tinha sido usado para ouvir o homem que ele ainda se chamava ' Daddy' por tempo suficiente, e foi talvez pensando em 34, ele provavelmente deve estar fazendo mais alguns próprio decisões.

Livro Ayrton Senna, The Messiah of Motor Racing

Página 171 e 172


Onde estão indecentes? Nem que tivessem... Não estou vendo nada demais, porém Ayrton já era um homem de 34 anos e se quisesse sair pelado na capa de uma revista podia sair. Eu hein... Esse pai do Ayrton é um autocrata, puritano e conservador. Indecente é escravizar humildes trabalhadores rurais como ele fazia. 

Essa foto é indecente para uma capa de revista? Só porque Ayrton está sem camisa abraçando Adriane, que está de biquíni, por trás. Ah vá... 



Milton da Silva, pai de Ayrton Senna. Na opinião do empresário revista Caras de Senna e Galisteu na capa é indecorosa

Adriane com "indecente" caras edição 25 nas mãos em 2008

 Na mesma época os dois foram capa da revista Gente de Portugal com fotos também enviadas por Ayrton e a capa foi a mesma da Caras do Brasil

Logo após a morte do Ayrton a revista Nova Gente fez outra capa com os dois novamente com trajes de banho, com as fotos enviadas pelo piloto


IDIOMA ORIGINAL

Senna arrived in Bologna on Thursday 28th April to begin his preparation for the San Marino Grand Prix, a race he liked and had won three times previously. He was there on business, mindful of his life after Grand Prix racing, helping to launch a Senna-branded mountain bike.
He was also distracted by his family's attitude to his personal life, particularly his girlfriend Adriane. His younger brother Leonardo had been dispatched by Mission Control in São Paulo to tell him that 21-year-old Hungarian-Brazilian model wasn't the right sort of  girl for him and he should promptly ditch her.
Senna had appeared in glossy lifestyle magazines with Adriane, both of them wearing nothing but tiny swimming costumes and a smile. Milton da Silva nearly had a fit when he saw the pictures, and made his displeasure known to his elder son. But Senna was a man who had been used to listening to the man he still called 'Daddy' for long enough, and was perhaps thinking at 34, he should probably be making a few more decisions himself.

Book Ayrton Senna The Messiah of Motor Racing of Richard Craig

Page 171 and 172


FONTE PESQUISADA


CRAIG, Richard. Ayrton Senna: The Messiah of Motor Racing. London: Darton, Longman and Todd Ltd, 2012.

Adriane Galisteu e Ayrton Senna em um Evento de Kart em Bercy na França 1993 (Fotos)





Fazenda Dois Lagos - 23 de Junho de 2016

Foto da Fazenda Dois Lagos que pertenceu a Ayrton Senna e hoje é da família dele. A propriedade está localizada no Vale dos Lagos, em Tatuí, interior de São Paulo.




Playbrink Cria Capa Fake da Playboy 1993 de Adriane Galisteu (Foto)

Fãs criam capa fake da Playboy 93 de Adriane

A Emoção de Adriane Galisteu

A apresentadora, ex-namorada de Ayrton Senna, volta ao autódromo de Interlagos para o GP Brasil, 13 anos após a morte do piloto

Isto é Gente
29 de outubro de 2007

Acho que é uma superação estar aqui no autódromo. Pensei que não seria capaz de vir”, diz Galisteu

Antes mesmo de o finlandês Kimi Raikkonen receber o título de campeão mundial, Taís Araujo vibrou em seu passeio na pista de Interlagos Eram 12h30 de domingo 21, sol a pino e calor infernal em Interlagos, quando Adriane Galisteu pisou no autódromo no dia do Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1. Levada pela promoter Alicinha Cavalcanti, Adriane não ficou para a largada que deu o título de campeão mundial ao finlandês Kimi Raikkonen, desbancando o britânico Lewis Hamilton e o espanhol Fernando Alonso. Era a primeira vez que ela voltava a Interlagos, 13 anos depois da morte de Ayrton Senna, em 1994. Adriane se emocionou com o ronco dos motores e todo o circo da Fórmula 1 na chegada ao Paddock Premium Club em Interlagos. “Eu já fiz parte desse mundo. Tenho vontade de chorar”, disse ela. No camarote do Hospital São Luiz, ela conheceu o ator mexicano Gael García Bernal, que estava entre os convidados, e bateu papo com Serginho Groisman, Taís Araújo e Ellen Jabour. Ao deixar o autódromo pouco antes do início da prova, ela disse a Gente que torcia por Felipe Massa e que tinha grande simpatia por Hamilton:

Por que você já está indo embora?

Eu fico muito emocionada quando começo a ouvir o ronco dos carros. Então prefiro ir embora antes da largada. É uma superação estar aqui. Achei que não fosse capaz de vir. Eu enrolei um tempo no carro, quando chegamos. O helicóptero chegou e eu falei, ah, eu não vou. Comecei a querer inventar milhões de desculpas para desistir. Acabei vindo pela amizade que tenho pela Alicinha. E assim supero também isso. Na minha vida eu não tenho traumas. Não sou uma mulher com esse tipo de coisa. E acho que, se eu assistir a uma largada, sou capaz de ver toda a corrida. Quem sabe no ano que vem?

Como foi a última vez em que você esteve em Interlagos?

Foi no ano da morte dele. Foi a última vez, depois não vim mais. Tinha prometido que não ia mais voltar.

Por quê?

É um universo que fez parte da minha vida por um tempo e que depois perdeu o sentido, total. Tinha todo um amor, eu gostava de vir. Eu parei de assistir, tudo. Eu só continuo na torcida. Pelo Rubinho, que é um cara que eu adoro, e conheço de muitos anos. E, agora pelo Felipe, que tem tido um desempenho sensacional. E por acaso, eu tenho muita simpatia pelo Hamilton.

Há 13 anos, você se lembra como foi a corrida no Brasil? 

Ayrton não ganhou naquela vez. Ele rodou. Foi a penúltima corrida dele. Foi a primeira corrida do campeonato, mas ele rodou na terceira ou quarta volta. Depois houve a do Japão, em que ele também saiu, Mika Rakkinem bateu nele.


"É um universo (o automobilismo, as corridas de Fórmula 1) que fez parte da minha vida por um tempo e que depois perdeu o sentido, total. Tinha todo um amor, eu gostava de vir (ela acompanhava Senna no circo da Fórmula 1 nas pistas do mundo inteiro). Eu parei de assistir, tudo (depois da morte de Senna)." - Adriane Galisteu






Como você se sente?

Não é mole voltar assim. Parece que eu peso uma tonelada, meu corpo pesa, é uma coisa incrível. Dá angústia, sinto vontade de chorar. Volta uma história muito difícil, não só pela morte dele, pelo acidente, pelo quanto foi trágico, mas também por tudo que eu vivi.

Adriane Galisteu chorando muito, desesperadamente, no velório de seu grande amor Ayrton Senna. Além da dor da perda do amado e então futuro marido, Adriane foi desprezada, rejeitada e humilhada pela família dele após a tragédia


INTERLAGOS ESTRELADO

De passagem pelo Brasil, o ator mexicano Gael García Bernal acompanhou de perto todas as emoções da final do Grande Prêmio de Fórmula 1, no domingo 21. O protagonista do filme O Passado esteve ao lado de Adriane Galisteu e Serginho Groismann no camarote do Hospital São Luiz. Taís Araujo, José Mayer e Ellen Jabour, também convidados do médico Ruy Marco Antônio, presidente do hospital, tiveram uma experiência um tanto inusitada. Antes da largada, fizeram um “reconhecimento da pista” e tiveram a oportunidade de dar uma volta pelo Autódromo de Interlagos. A bordo de um Porsche, experimentaram um pouco a sensação de aventura que pairava no ar durante todo o evento.




Carlos Casagrande e Fernanda Machado compareceram ao treino oficial realizado no sábado 20. O médico Ruy Marco Antônio (ao lado) recebeu convidados vips no camarote do Hospital São Luiz

O ator Paulinho Vilhena garantiu presença no camarote do Hospital São Luiz

 Antes mesmo de o finlandês Kimi Raikkonen receber o título de campeão mundial, Taís Araujo vibrou em seu passeio na pista de Interlagos



No paddock, a apresentadora Adriane Galisteu conheceu Gael García Bernal. Os dois conversaram antes da largada


Adriane Galisteu volta pela primeira vez a interlagos, 13 anos após a morte de Ayrton Senna. Capa Isto É, edição 426. 





FONTE PESQUISADA


ISTO É GENTE - A emoção de Adriane Galisteu. Disponível em: <https://www.terra.com.br/istoegente/edicoes/426/artigo64847-1.htm>. Acesso em: 22 de abril 2018.

sábado, 21 de abril de 2018

Livro de Adriane Galisteu, "Caminho das Borboletas", em Japonês (Fotos)

Nomeado no Japão como “Ayrton Senna Forever”, o livro “Caminho das Borboletas” japonês foi lançado em abril de 1996. São três capas diferentes e tradução de Yumiko Sakata, confira: